A história da guitarra começa na década de 1930, quando o instrumento surge como uma modificação do violão.

A primeira guitarra – Rickenbaker Eletro A-22, a “Frying Pan”.

Você já pensou sobre como e quando teria surgido a primeira guitarra elétrica da história? Neste artigo iremos desvendar esse e outros tópicos relacionados ao instrumento que transformou a música popular no século XX.

As guitarras se originaram a partir de um instrumento musical de origem espanhola. A vihuela, como era denominada, se originou por meio de outros dois instrumentos mais antigos ainda: o “ud”, com cinco cordas e muito popular no Oriente Médio, e a “cozba”, um aparelho musical romano.

No ano de 1923, o engenheiro Lloyd Loar desenvolveu um captador para instrumentos de corda, mas não conseguiu chegar num modelo que se viabilizasse comercialmente. Somente oito anos depois, George Beauchamp e o músico Adolph Rickenbaker conseguiram produzir um captador magnético para uma guitarra horizontal “Lap-steel”, que foi popularizada na música havaiana, e obtiveram resultados satisfatórios com o novo invento.

Frise-se, ainda, que nesse meio tempo, tentou-se desenvolver uma tecnologia de amplificação em instrumentos acústicos, porém, a microfonia gerada pela ressonância da caixa acústica inviabilizou os experimentos.

Enfim, a guitarra elétrica

As guitarras elétricas surgiram em 1930, como uma modificação do violão, através dos esforços de George Beauchamp. Como os primeiros modelos geravam um som muito suave e baixo, algo bem diferente do que conhecemos hoje em dia, Beauchamp começou a pesquisar maneiras de aumentar o volume dos violões.

Após um período de investigação, no qual Beauchamp chegou a usar gramofones, surgiu a ideia da utilização de captadores (imãs que captam a interferência magnética causada pela vibração das cordas da guitarra).

Após a descoberta dos captadores, George Beauchamp passou a procurar por pessoas que o pudessem ajudar financeiramente para possibilitar a fabricação de seu invento.

Foi com o apoio de Adolph Rickenbaker, sob o nome de Rickenbaker Instruments Corporation, que a primeira guitarra elétrica foi fabricada. Trata-se da famosa “Frying Pan”, que mais parecia uma panela do que um instrumento.

Na sequência, um invetor chamado Loyd Loar lançou uma guitarra elétrica com o formato de um violão clássico. Loar foi o primeiro a produzir e a vender guitarras com esse formato mais convencional. Contudo, sua empreitada não deu certo.

Les Paul “log” – 1947.

Pouco tempo depois, a Gibson resolveu entrar no mercado de guitarras elétricas e lançou a lendária ES-150, inspirada na Les Paul “log” (tora).

Em 1948 foi a vez de Paul Bigsby inscrever seu nome na história da música moderna. Foi nesse ano que Bigsby, um mecânico de Los Angeles, criou a guitarra Bigsby-Travis – que já incorporava um sistema de tremolo.

Guitarra Bigsby-Travis, de 1948. Note o headstock da Bigsby, que mais tarde seria “aprimorado” (ou copiado?) pela Fender.

O final da década de 1940 marca a entrada de Leo Fender na história da guitarra. Sua pesquisa levou ao lançamento, em 1950, da primeira Fender: a Broadcaster, muito parecida com as Telecaster vendidas atualmente. Tratava-se de uma revolução para os músicos: a Fender era um instrumento simples e fácil de manter. Perfeita para cair na estrada.

Leo Fender é considerado o principal responsável pela produção em massa e pela popularização das guitarras.

Réplica da Fender Broadcaster, originalmente lançada em 1950.

Após a chegada da Fender ao mercado de instrumentos, pode-se dizer que o resto da história é puro Rock & Roll. Contudo, ainda vale lembrar que em 1952 a Gibson lançou a sua primeira guitarra de corpo sólido, cujo modelo ficou conhecido no mundo inteiro como “Les Paul”.

A guitarra se popularizou após a Segunda Guerra Mundial, durante as décadas de 50 e 60, período em que ganhou enorme espaço no mundo da música.

História da guitarra contada pelos principais modelos

1931. Rickenbaker Frying Pan: considerada a primeira guitarra da história.

1935. Rickenbaker Electro String: feita de baquelite e plástico, seu braço poderia ser destacado do corpo.

1941. Les Paul Log: uma das primeiras guitarras de corpo sólido.

1947. Bigsby-Travis: a primeira guitarra de Paul Bigsby já contava com um sistema de tremolo.

1950. Fender Broadcaster: a guitarra e a marca que popularizaram a guitarra no mundo.

1952. Gibson Les Paul: o nascimento de um modelo que se tornou ícone e padrão de excelência entre as guitarras.

1954. Fender Stratocaster: outro ícone nascido na década de 1950.

5 guitarristas que fazem parte da história do instrumento

Se não fosse pelas mãos ágeis e pelos ouvidos treinados de grandes guitarristas, a guitarra jamais teria se tornado o ícone que é. Veja uma lista com alguns dos maiores guitarristas da história:

  1. Jimi Hendrix
    Não adianta. Até hoje ninguém se compara a Jimi Hendrix. O músico norte-americano influenciou toda uma geração de guitarristas e ainda é considerado um dos artistas mais importantes da música moderna. Morreu jovem, aos 27 anos, mas deixou como herança diversas técnicas de guitarra inovadoras.
  2. BB King
    King é o rei do blues – nada mais, nada menos. Ele inspirou grandes nomes como Eric Clapton e o próprio Jimi Hendrix, e sempre soube transmitir sua paixão musical com muita emoção.
  3. Eric Clapton
    Tocou em bandas como Yardbirds e BluesBreakers e criou um estilo próprio derivado do blues. É apelidado “slowhands” (mãos lentas) por seus fãs, devido ao seu jeito peculiar de tocar o instrumento.
  4. Carlos Santana
    O mexicano soube criar um estilo único que mescla rock, música latina e pop.
  5. Keith Richards
    Outro guitarrista que soube forjar um estilo próprio de tocar guitarra. Famoso por tocar nos Rollings Stones, Keith foi o responsável por criar riffs clássicos como o de Satisfaction.

Para mais informações sobre a história da guitarra elétrica:

Sobre o Autor

Guitarra Club

Bem-vindo ao Guitarra Club, um blog para os apaixonados pelo mundo dos instrumentos de cordas. Dicas, notícias e testes para guitarra, baixo e outros.

Ver Todos os Artigos