São três as principais formas de conectar o braço ao corpo da guitarra: parafusado, colado e inteiriço (que faz parte do corpo).

Braço parafusado, colado ou inteiriço
Da esquerda para a direita: braço parafusado, braço inteiriço e braço colado.

Braço parafusado

As guitarras com braço parafusado possuem duas grandes vantagens: eles podem ser facilmente removidos ou substituídos e o sustain é tão bom quanto as duas outras formas – ou até melhor. Todavia, essa diferença no sustain só é percebida com medidores eletrônicos.

Braço colado

As guitarras produzidas com o braço colado ao corpo pertencem a uma escola de construção de instrumentos mais tradicional. Embora seja raro precisar substituir um braço de guitarra, isso pode ocorrer. O ponto negativo dos braços colados é exatamente o trabalho para retirá-los do corpo – nada impossível, mas certamente muito mais trabalhoso.

Braço inteiriço

Guitarras com braço inteiriço (neck-through guitars) possuem vantagens e desvantagens. A vantagem é que a transição do braço para o corpo pode ser melhor trabalhada, resultando em ganhos de velocidade e alcance da escala. Contudo, esse tipo de braço não pode ser substituído sem que haja uma alteração radical no instrumento.

Qual é o melhor tipo de braço para guitarras?

Depende. Não há uma resposta definitiva. Do ponto de vista do fabricante, braços parafusados e colados permitem uma linha de produção mais simples: enquanto alguns funcionários fazem braços, outros fazem os corpos das guitarras. Por outro lado, os braços inteiriços, na visão dos fabricantes, pode demandar mais tempo de fabricação.

Para o guitarrista é uma questão de gosto, ouvido e conforto. Só testando para descobrir qual é o braço preferido.

Sobre o Autor

Guitarra Club

Bem-vindo ao Guitarra Club, um blog para os apaixonados pelo mundo dos instrumentos de cordas. Dicas, notícias e testes para guitarra, baixo e outros.

Ver Todos os Artigos