A palheta é, em geral, a menor das preocupações de muitos guitarristas. Contudo, apesar do tamanho e da atenção a ela dada, a palheta é um elemento muito importante e o tipo de palheta utilizado faz muita diferença.

Se você nunca experimentou os tamanhos, materiais, qualidades de produção de som e outras sutilezas da palheta, é normal pensar que a palheta não passa de um pedaço de plástico que você usa para tocar as cordas. Contudo, a escolha da palheta depende do estilo de música que você gosta de tocar, das suas habilidades com o instrumento, das preferências de som (a palheta afeta o timbre) e pelo modelo de guitarra que você possui.

Músicos usam palhetas para tocar instrumentos de corda há milhares de anos – pelo menos desde os antigos egípcios. Além de tocar com os dedos e as unhas, sabe-se que vários itens, dos mais diversos materiais, foram empregados, tais como penas, casco de tartaruga e o mezrab, que é um fio de metal colocado no dedo e usado para tocar o sitar indiano. Ao longo dos anos também foram utilizados ossos, madeira, metal, âmbar, pedra e marfim na confecção de palhetas.

Atualmente, as palhetas são feitas de uma variedade de materiais, como nylon, plástico, borracha, metal, madeira, vidro, pedra, feltro ou fibra de carbono e são disponibilizadas em várias formas e tamanhos.

Qual palheta devo usar para tocar guitarra?

Aqui estão 10 dicas para ter em mente na hora de escolher a palheta correta para tocar guitarra:

1. O tamanho e o peso da palheta fazem diferença no som da guitarra

O tamanho típico de um palheta é de 3 cm de comprimento e 2 de largura, disponíveis nos mais variados tamanhos e formas. Músicos de Jazz preferem costumam escolher palhetas menores, que possibilitam o contato da corda com os dedos – técnica que cria um timbre mais silencioso e mais quente.

Já a maioria dos músicos que tocam rock, country e blues preferem palhetas de tamanho padrão, levemente maiores do que as primeiras, para conseguir um contato firme e evitar que os dedos encostem nas cordas.

Quanto ao peso, uma palheta mais pesada geralmente produz um som mais “escuro” do que uma palheta mais leve, cujo som é mais “brilhante”. A espessura das palhetas é geralmente medida em milímetros (mm) e normalmente varia de 0,38 mm (fina) a 1,5 mm (grossa). No entanto, algumas palhetas de guitarra podem medir até 3,0 mm de espessura. Palhetas mais pesadas oferecem mais controle, mas o uso de uma peso-pesado exige um pouco mais de habilidade do que palhetas mais leves, geralmente usadas por iniciantes (mas não só por eles). Em geral, palhetas finas são boas para guitarra rítmica (base), mas não são a melhor escolha para tocar solos de guitarra.

Palhetas de madeira.
Palhetas de madeira.

2 . Como escolher o material da palheta?

A grande maioria das palhetas usadas hoje em dia são fabricadas de plástico: nylon, polietileno, celuloide e outras variedades. Palhetas construídas com material de casco de animal são raras, além de serem mal vistas pela comunidade. Bronze e aço também podem ser encontrados com certa facilidade assim como palhetas de madeira. Em geral, quanto mais duro o material mais brilhante e mais ataque no som produzido. Um problema com palhetas de metal, com exceção das dedeiras, é que elas tendem a danificar a superfície do escudo da guitarra.Materiais mais comuns e suas características:

  • Metal: as palhetas de metal produzem um som mais “limpo” do que as palhetas de plástico. O lado negativo desse tipo de palheta fica por conta da desafinação constante que produz no instrumento, visto que o peso costuma “malhar” as cordas.
  • Nylon: as palhetas de nylon podem ser grossas ou extrafinas Apesar de serem bastante maleáveis no início, essas palhetas podem perder essa característica com o passar do tempo.
  • Casco De Tartaruga: foram muito utilizadas. Entretanto, com o avanço dos movimentos ambientalistas, foram proibidas. Também pudera!
  • Madeira: a variação da sonoridade depende da madeira utilizada na fabricação. Se a madeira for densa e dura, o som será abafado.
  • Acrílico: palhetas de acrílico são resistentes e leves, embora não sejam muito flexíveis. Músicos de jazz gostam do som produzido por esse material.
  • Acetado: são palhetas bem consistentes! Disponíveis em vários tamanhos e espessuras, elas aderem bem aos dedos. O acabamento tende a ser fosco e aveludado.
  • Celulose: são palhetas muito populares. Não são muito resistentes. Produzem um som “estalado”.
  • Palhetas sustentáveis: são aquelas que fazemos com cartão de crédito, tampa de margarina e demais materiais reutilizáveis.

3. Sobre o formato das palhetas

O formato das palhetas é bastante diversificado: de dente de tubarão a palhetas com furos centrais para facilitar a firmeza no momento da execução. Nesse sentido, o melhor é testar e ver qual modelo se ajusta melhor ao seu estilo.

Curiosidade: alguns anos atrás foi lançada a palheta Jellifish, que vinha equipada com 18 filetes de metal articulados. Supostamente, essa palheta aumentaria a energia e a frequência do som das cordas. Nunca vi ao vivo.


A dica que fica não poderia ser mais intuitiva: teste vários tipos de palheta e descubra o modelo que melhor se adapte ao seu estilo de tocar guitarra.

Sobre o Autor

Guitarra Club

Bem-vindo ao Guitarra Club, um blog para os apaixonados pelo mundo dos instrumentos de cordas. Dicas, notícias e testes para guitarra, baixo e outros.

Ver Todos os Artigos